Follow by Email

domingo, 12 de agosto de 2012

Significado do mantra OM MANI PEME HUNG (em Tibetano); ou OM MANI PADME HUM (em Sânscrito)






Segue a transcrição ipsis litteris de trecho constante do livro “Tchenrezi: O Senhor da grande compaixão”, de Bokar Rinpoche, Editora Shisil, Brasília, 1996. Há um bom tempo queria fazer esta transcrição, por alguns motivos, em particular pela força do próprio mantra sobre o qual ela se refere. Apenas para iniciar, o termo mantra pode ser traduzido ou interpretado de diversas formas. De um modo geral, refere-se a expressões ou palavras de poder, no sentido de criarem um ambiente positivo mental e no meio ambiente circundante, propícios para que se possa, por exemplo, fazer um ritual ou simplesmente para que a casa ou templo se harmonize. Segue o texto.

O MANTRA OM MANI PEME HUNG

Os mantras são frequentemente os nomes de Buddhas, de bodhisattvas[1], ou de divindades. OM MANI PEME HUNG[2] nada mais é, por exemplo, que uma maneira de nomear TCHENREZI[3]. De um ponto de vista absoluto, TCHENREZI não tem nome, mas, no domínio do relativo, da realidade-guia, ele é designado por nomes, que são o vetor da sua compaixão, da sua graça e do poder das aspirações que formula para o bem dos seres. Nesse sentido, a recitação de seu nome transmite as qualidades de sua mente. Aqui reside a explicação do poder benéfico de seu mantra, que é também o seu nome.

Assim como assimilamos o nosso nome, tornamo-nos um com ele, da mesma maneira, no relativo, o mantra é idêntico à divindade. Eles constituem uma única mesma realidade. O mantra recitado nada mais é que a própria divindade. Pela recitação recebe-se a graça da divindade; pela visualização recebe-se a mesma graça, sem diferença.

O mantra OM MANI PEME HUNG propiciou, às vezes, traduções fantasiosas ou misteriosas. Contudo, como acabamos de ver, trata-se simplesmente de um nome de TCHENREZI, colocado entre duas sílabas sagradas tradicionais, OM e HUNG.

·         OM representa o corpo de todos os Buddhas; é também o começo de todos os mantras;

·         MANI significa joia em sânscrito;

·         PEME, segundo a pronúncia tibetana, ou PADME segundo a pronúncia sânscrita,significa lótus;

·         HUNG representa a mente de todos os Buddhas e conclui frequentemente os mantras.

MANI e PEME referem-se à joia que TCHENREZI segura em suas duas mãos centrais e ao lótus que segura na sua segunda mão esquerda. Dizer MANI PEME é nomear TCHENREZI por meio de seus atributos: “aquele que segura a joia e o lótus”. TCHENREZI ou Jóia-Lótus, são dois nomes para a mesma divindade.


[1] Dentro da tradição budista, em particular o Mahayana e o Vajrayana, por sua vez, este termo refere-se a seres que ainda não atingiram a condição de Budas, mas que por compaixão dedicam-se para que todos no Universo possam conseguir tal intento
[2] Também escrito como OM MANI PADME HUM, em sânscrito.
[3] Tchenrezi é um dos Bodissatvas (ou manifestações da divindade) mais reverenciados no Budismo.














Nenhum comentário:

Postar um comentário